XModal finalista Innovation Latam Awards

É com muito orgulho que compartilhamos esta notícia que nos enche de felicidade, XModal Tecnologia em Comércio Exterior está entre as 40 startups mais inovadoras da América Latina.

https://www.linkedin.com/feed/update/urn:li:activity:6552623062863368192

Anúncios

Ótima notícia para iniciarmos a semana: Acordo entre Mercosul e UE.

Depois de longas negociações, obstáculos e barreiras (o processo teve início no ano de 1999), saiu o tão esperado “Acordo de Associação Mercosul-União Europeia”, concluído em 28 de junho passado em Bruxelas. O feito recompensa os esforços do governo Bolsonaro (embora há de se lembrar o mérito de Michel Temer por retomar as negociações) por uma maior abertura econômica do Brasil ao mercado internacional, bem como a reconfiguração do bloco do Mercosul como propulsor de desenvolvimento regional.

O acordo estabelece as bases para as relações políticas e econômicas entre os países membros do Mercosul e os países da União Europeia (UE), sobretudo as relações multilaterais de comércio de bens e serviços, investimento, intercâmbio tecnológico e fluxo financeiro. De saída vale lembrar que, em razão do aumento da população mundial e da busca de superação da pobreza, a tendência é que essas relações multilaterais cresçam a taxas anuais superiores à taxa de crescimento populacional global.

O acordo foi um grande passo para o desenvolvimento do Brasil e de países vizinhos

Há justificada esperança de que os acordos entre blocos de países contribuam para aumentar a produtividade do trabalho internamente e faça aumentar a capacidade de competitividade das nações. No caso do Brasil, espera-se que o acordo Mercosul-União Europeia eleve a competitividade sistêmica da economia brasileira e tenha, como um dos efeitos principais, o barateamento dos bens de capital, bens de consumo e serviços para os produtores e consumidores nacionais. De forma resumida, a expectativa é de que esse acordo ajude o país a crescer, a melhorar a renda por habitante, a reduzir a pobreza e a aumentar o nível de emprego.

O acordo comercial entre o Mercosul e a UE cria uma das maiores áreas de livre comércio do mundo, representa o maior e mais complexo acordo que o Mercosul já negociou e atinge larga extensão ao estabelecer regras tarifárias, normas regulatórias de tributação e de serviços, compras governamentais, maior abertura comercial, questão de barreiras técnicas, medidas sanitárias e temas de propriedade intelectual. Para o Brasil, o acordo se insere na política de maior inserção internacional, ampliação da abertura ao comércio exterior e ampliação dos mercados para bens e serviços brasileiros. O acordo abrange três pilares essenciais: diálogo político, cooperação e livre comércio, cujos detalhes são bem amplos e pegam uma gama de temas vinculados aos três pilares, fazendo que este seja o acordo mais amplo e mais significativo para os países do Mercosul, do qual se espera contribuição significativa para o progresso da América do Sul, sobretudo porque os termos do acordo equilibram as condições de competição com outros países que já têm acordos de livre comércio com a UE. Assim, o acordo ajudará a reverter a condição de desigualdade que os países do Mercosul têm de enfrentar para ter acesso a um mercado de 510 milhões de pessoas.

O Brasil será beneficiado em vários aspectos, incluindo os produtos agrícolas que terão suas tarifas eliminadas, a exemplo de suco de laranja e outras frutas, café solúvel, peixes e óleos vegetais, e o acesso preferencial para exportadores brasileiros de carnes bovina, suína e de aves, açúcar, etanol, arroz, ovos e mel. Outro ponto, cujo detalhamento virá mais adiante, refere-se à eliminação de tarifas na exportação de 100% de produtos industriais brasileiros. O acordo prevê ainda melhoria nas normas não tarifárias, com vistas a estimular o ambiente de negócios, redução das restrições ao comércio e maior segurança jurídica aos investimentos. As definições sobre os aspectos da cooperação estão em fase de finalização e devem fixar novas bases para o fortalecimento das relações em áreas estratégicas como ciência, tecnologia e inovação, defesa, infraestrutura, meio ambiente, energia, segurança cibernética, educação, direitos do consumidor e combate ao terrorismo.

O acordo é extenso, vai muito além dos aspectos aqui citados, mas seguramente vem carregado de otimismo e expectativas positivas para o crescimento econômico, o desenvolvimento social e a melhoria das relações dos países membros do Mercosul com o resto do mundo. Os próximos passos incluem o envio do acordo, pela Presidência da República, para o Congresso Nacional e, após aprovação, o Senado deve dar autorização ao Poder Executivo para ratificar o acordo. Esse processo na União Europeia é parecido, cabendo ao Parlamento Europeu a apreciação em nome dos países membro daquela comunidade. O acordo foi um grande passo para o desenvolvimento do Brasil e dos países vizinhos.”

Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/opiniao/editoriais/o-acordo-entre-mercosul-e-uniao-europeia/

Copyright © 2019, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.

Receita Federal lança novo Portal sobre Comex

A Receita Federal do Brasil lançou esta semana um novo portal dedicado a assuntos da Aduana e de Comércio Exterior.

O portal conta com áreas sobre os principais temas buscados, como exportação, importação, Siscomex e regimes especiais.

Informação muito importante e de grande valor para educação e aprimoramento das atividades do nosso setor e dos profissionais do segmento.

Para conhecer o novo portal é preciso acessar o portal da Receita Federal.

http://receita.economia.gov.br/

Transformação Digital no Comércio Exterior

A transformação Digital no atual cenário do comércio exterior no Brasil.

Ainda em estágio inicial, a transformação digital no Brasil já é uma realidade a qual devemos nos adequar e continuar inovando.

A Transformação digital é um processo que consiste nas novas formas de inovar, pensar e operar com base nos recursos que a tecnologia nos oferece, aliados á gestão empresarial.

Com as mudanças do cenário em que vivemos, comparado com o que vivíamos, as empresas buscam alternativas mercadológicas para se enquadrar da melhor maneira possível e para tirar o máximo de vantagem e benefício que a tecnologia possa trazer, Sendo assim, é inegavel a influência que este processo vem tendo em todas áreas do comércio exterior e também de outros mercados. O Comércio Exterior, se modernizou, vem se modernizando, e atualmente, acompanha as principais inovações do mercado.

Os desafios encontrados neste processo são dos mais diversos, desde dúvidas e resistência por parte de algumas pessoas e empresas que ainda entendem que o mercado funciona como ” na moda antiga “, estes serão os mais prejudicados, pois enquanto grandes organizações, empresas referências de mercado, estão buscando se atualizar cada vez mais e já tem se entregado a necessidade do uso da tecnologia, alguns ainda tem a velha e boa resposta na ponta da língua, “sempre funcionou deste modo, por que é que vou mudar agora”, bom o mercado já esta dando sinais de que não irá perdoar aqueles que não se encaixarem, agilidade na troca de informações, redução de tempo de trabalho, redução de custos, redução de recursos humanos, dentre outros fatores já são uma realidade e a troca de informações e evolução constante das tecnologias tem sido cada vez mais ágeis e aceleradas.

Os indices globais de aplicações de capital direcionadas à tecnologia não param de crescer.
De acordo com um levantamento feito pela IDC (International Data Corp) , os investimentos aumentarão 18% neste ano de 2019 em relação ao ano anterior, US$ 1.2 Trilhão será ou já está sendo investido nesse setor.

Dentro deste contexto, as aplicações das novas tecnologias da Indústria 4.0 não categorizam uma realidade distante para as empresas. Contudo, há fatores e elementos que podemos destacar para categorizar a chegada dessa nova era.

– O começo de uma era:

A transformação é dinâmica, justamente por ter acontecido de forma tão natural. Ainda existem muitos desafios para enfrentarmos e com certeza surgiram outros ao longo do caminho. Precisamos mudar a cultura em alguns casos, mentalidade e nos adaptar ao cenário que vem sendo preparado e que já vem impactando diversos setores.

Quando falamos de transformação digital, não podemos desvincular a participação humana neste processo, valorização do trabalho de cada colaborador dentro de uma organização, potencializando ao máximo sua capacidade de execução, com suporte de tecnologias avançadas que agilizem, facilitem, organizem e reduzam seus trabalhos mais repetitivos e operacionais.

Vários termos bem atuais no mercado de Tech como, Analytics, Business Inteligence, Machine Learning, Artificial Inteligence, Process Automatization, entre outros apoiam empresas para inclusão da tecnologia em suas rotinas.

– Comércio Exterior no Brasil

Com certeza o mercado de Comex está buscando formas de se modernizar e acompanhar essa onda de transformação digital. Pensando nos dias de hoje, se torna praticamente inviavel cuidar manualmente dos processos, tendo em vista a quantidade de informações que precisam ser levantadas em um curto espaço de tempo.

Exemplos dessa transformação tem surgido em diversos áreas diferentes, o próprio governo Federal do Brasil já vem buscando soluções que possam auxiliar a vida dos empresários, o Portal Único de Comércio Exterior é um belo caso de modernização e desburocratização, o que traz maior competitividade para as empresas brasileiras perante o mercado internacional.

A XModal é uma dessas iniciativas que vem para revolucionar a maneira como as empresas trabalham, agilidade, redução de tempo de tempo de trabalho, redução de custos operacionais, facilidade, compliance, assertividade e transparência são alguns dos benefícios que nossa plataforma vem trazendo para os usuários.

www.xmodal.com.br

DESCOMPLIQUE!

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora